SIMPERE dá início a uma nova etapa de sua história com a posse dos Delegados de Base

Um dos destaques da Plenária foi a participação da professora Amanda Gurgel do RN

“Ser professor e não lutar é uma grande contradição pedagógica”. Foi com esta frase que a direção do SIMPERE iniciou nesta terça-feira (29) a Plenária de Posse dos Delegados de Base. Com o auditório dos Bancários praticamente lotado durante todo o dia, professores e professoras do Recife tiveram a oportunidade de participar de um momento histórico do Sindicato, marcado por informação, muita vontade de lutar e música com o grupo Boêmios do Capibaribe. O evento contou com a presença da professora Amanda Gurgel, o prefeiturável do PSTU, Jair Pedro, além de representantes de entidades como o ILAESE, CSP-Conlutas, SINTECT-PE, Movimento de Mulheres em Luta, ANEL e SINDMETRO-PE. A mesa foi conduzida por Simone Fontana e Eunice Nascimento.

A coordenadora geral do SIMPERE, Simone Fontana, deu as boas vindas aos Delegados de Base ressaltando a importância do cargo. “Essas pessoas que foram eleitas para assumir tal responsabilidade estarão fortalecendo nossa luta e contribuindo para que o sindicato seja mais transparente. Elas irão levar as campanhas para dentro das escolas, além de denunciarem os problemas enfrentados pelas unidades educacionais”, disse. Logo após, foram dados informes e foi exibido um vídeo mostrando a trajetória da campanha salarial.

“Em um país que os sindicatos são comandados pelo Governo, é preciso consolidar a base para a batalha. É o professor que representa cada sala de aula, cada escola, que irá mudar esse quadro junto à direção sindical e toda categoria”, complementou Maria Alves, diretora do SINTECT-PE. Guilherme Fonseca do ILAESE chamou a atenção dos presentes para a saúde do profissional de ensino. Atualmente chega a 519 o número de profissionais da rede educacional do Recife que hoje estão afastados da sala de aula por problemas de saúde.

Um dos destaques da Plenária foi a participação da professora Amanda Gurgel, do Rio Grande Norte. Amanda abriu o debate falando sobre a situação precária da educação no seu estado e em todo o país, que hoje apresenta 47 instituições federais de nível superior paralisadas. A professora enfatizou a importância do profissional ser cada vez mais atuante nas mobilizações e convocou a categoria para lutar contra as condições impostas pelo governo. “Apenas quem tem o direito de descansar no sistema capitalista são os burgueses, nós trabalhadores temos que lutar para que futuramente possamos descansar numa sociedade mais justa e socialista. Apesar de todo o cansaço temos que criar forças e lutar contra esse sistema!”, completou. Amanda criticou o PNE, que segundo ela, é um ataque à educação pública e toda sociedade deve estar atenta a isso. É preciso um investimento imediato de 10% do PIB, pois é a única forma de darmos um primeiro passo rumo a mudanças significativas na educação do país.

Os professores presentes na Plenária de Posse também se manifestaram durante o debate, abordando pontos como a superlotação das salas de aula, saúde do professor, falta de estrutura e de segurança. Alguns aproveitaram a ocasião para fazer denúncias de problemas enfrentados nas escolas. Em breve divulgaremos os nomes dos delegados eleitos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + 13 =