ADUFERPE muda a direção e aponta para as lutas

O SIMPERE esteve presente na posse da nova diretoria do Sindicato dos Professores da UFRPE (ADUFERPE), na última quarta-feira (20). O evento aconteceu no auditório da Casa do Professor, onde funciona a sede da entidade. O local se encheu de festa, com direito a fogos e uma boa música.

Na mesa estavam presentes: Cícero de Souza, coordenador geral da antiga gestão; Rejane Brito, representante da ANDES, que enfatizou o exemplo de luta que a UFRPE deu na Greve de 2012; Claudia Ribeiro, da coordenação estadual da CSP-CONLUTAS, lembrando que esta mudança reaproxima a ADUFERPE às lutas ao lado da central sindical; Cauê Almeida, vice da nova diretoria; e o novo coordenador geral, José Nunes.

Paulo Henrique representou o SIMPERE na atividade em sua saudação e afirmou que a mudança da gestão da ADUFERPE também é uma mudança na política da associação, resultando numa maior proximidade entre as duas entidades. E Lembrou também: “Nossa aproximação é ainda maior,pois o atual secretário de educação é o professor Valmar Correia”, referindo-se ao atual secretário de Educação do Recife Valmar Correia, que também foi reitor da UFRPE.

José Nunes, coordenador geral, encerrou as intervenções. “Essa necessidade de mudança se expressou nas lutas da greve 2012 e o destino agora nos conduz para dirigir esta entidade por pelo menos dois anos, o que nós traz vários desafios”, disse. Zé Nunes aproveitou e criticou os projetos dos sucessivos governos que só venderam as universidades em uma privatização branca como o PROUNI. Lembrou o programa de campanha quando falou da defesa incondicional pela reestruturação da carreira, tendo o ANDES como único representante legítimo, a luta por melhores condições de trabalho, uma maior articulação da forma de ensino onde pesquisa e extensão são indissociáveis, além da defesa de um ensino público, gratuito e de qualidade em todos os níveis.

Ao final, o professor Nunes lembrou que outro desafio é o fortalecimento da luta de outras categorias. “Para um segundo desafio nos cabe fortalecer as lutas gerais de outros trabalhadores e trabalhadoras, neste sentido teremos a intensificação ativa na participação da CSP-CONLUTAS, a nível regional e nacional, sendo um ponto crucial nesta questão”.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × cinco =