SIMPERE sai em defesa das escolas profissionalizantes

Os professores do Recife voltaram a debater na manhã desta quarta-feira (20), o desmonte do ensino profissionalizante da cidade. A plenária foi realizada no auditório do Sindicato dos Bancários. Neste local, se reuniram cerca de 100 professores e alunos das 17 unidades escolares profissionalizantes.

Os presentes no debate chegaram à conclusão que a proposta do Prefeito Geraldo Julio (PSB) de desvincular as escolas profissionalizantes faz parte de um projeto de privatização, através da Política da Parceria Pública Privada (PPP). O projeto é o mesmo que Eduardo Campos aplica no Estado, como agora na PPP da Compesa.

 A discussão sobre as Escolas Profissionalizantes, realizada pelo SIMPERE, foi concluída tirando entre outras resoluções, a formação de uma comissão para negociar com a Secretaria de Educação e realizar um ato na Câmara de Vereadores do Recife para exigir do parlamento que se posicione sobre a medida de sucateamento do ensino profissionalizante.

Em um segundo momento, alunos, professores e comunidade seguiram para a sede da prefeitura para protestar contra a decisão do prefeito. Já na frente da PCR foram feitas várias intervenções denunciando e exigindo das autoridades que não mexam nas escolas. Na ocasião, um grupo de alunos da Escola Profissionalizante João Pernambucano aproveitou para encenar uma peça onde mostravam Geraldo Julio amordaçando as unidades de ensino.

No final do ato, a comissão – tirada no debate –  subiu para falar com Valmar Correa para esclarecer os termos, mas o grupo foi recebido pelo assessor do secretário, Antônio Nunes, que negou a intenção de desvincular as escolas profissionalizantes. Porém, tal declaração desmente o prefeito, que já havia divulgado na rádio essas intenções. Ao final da reunião ficou decidido que a secretaria iria repor as escolas profissionalizantes no organograma oficial e o Sindicato ficou de elaborar um documento mostrando a inviabilidade da desvinculação para ser assinado pelo secretário e o prefeito. Outro item com o qual o assessor se comprometeu foi resolver a situação dos alunos da Escola João Pernambucano, impedidos de tirar a carteira de estudante, pois a unidade  foi retirada do cadastro da Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano.

 A mobilização da comunidade escolar do ensino profissionalizante mostrou duas coisas: a categoria  e o sindicato estão de olho nos movimentos de Geraldo Julio e qualquer tentativa de sucatear as escolas e reduzir os direitos dos professores não passará impune. E isso parece que o prefeito já entendeu, a ponto de inverter o que ele mesmo falou em um programa de rádio com grande popularidade; a segunda é que não dá para resolver os problemas de forma individual, é preciso se unir.  E o SIMPERE está aqui para fazer tudo isso acontecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 − um =