Nota da direção SIMPERE sobre cerceamento de fala na abertura do ano letivo

 

 

 

 

 

 

SIMPERE vem a público repudiar o cerceamento a fala deste sindicato por parte do secretário de educação da prefeitura do Recife Jorge vieira, na abertura do ano letivo ocorrida ontem, no dia 03 de fevereiro, no centro de convenções de Olinda.

Muito distante de representar a tentativa de melhorar a educação pública através da apresentação da nova política pedagógica, o secretário de educação e sua equipe demonstraram na prática que, de educação entendem muito pouco!

O processo educativo é uma ação coletiva, um movimento de mão dupla, de ampla participação social. no entanto, a nova política pedagógica da prefeitura do recife ignorou solenemente essa premissa.

A voz dos professores, pais de alunos, de toda a comunidade escolar não se ouve em nenhuma das mal traçadas linhas deste novo projeto. Não há nenhum registro da existência de qualquer fórum em que, as históricas demandas daquelas e daqueles que estão cotidianamente no chão da escola, pudessem ser incorporadas.

A mão de ferro que instituiu o novo projeto é a mesma que impediu a representação de fato e de direito, dos mais de cinco mil professores que compõem a rede oficial de ensino do recife, de opinar!

Ao impedir o SIMPERE de se fazer representar na abertura do ano letivo, desligando inclusive, o microfone de uma das diretoras da entidade, o secretário de educação Jorge vieira, além da postura anti -sindical, anti democrática e anti pedagógica, reafirma que o diálogo é letra morta na gestão de Geraldo Julio!

Mas, as professoras e professores também reafirmaram a sua história, de luta e de defesa da educação pública, verdadeiramente de qualidade, não de vitrine. Indignados se levantaram do plenário e se negaram a compactuar com a catarse ditatorial da prefeitura do recife.

Professor não se cala, luta e fala!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × quatro =