Simpere marca presença na Audiência Pública sobre a PL de Caça aos Livros

Na manhã da última sexta-feira (27), aconteceu no Plenarinho da Câmara de Vereadores de Recife uma audiência Pública para debater as PLs 26/2016 e a 709/2016. Esses Projetos de Lei prevêem a retirada dos livros distribuídos pelo MEC aos alunos da rede oficial de ensino do da capital pernambucana.

Conhecida como PLs Caça aos Livros, a proposta é movida pela bancada cristã da Câmara de Vereadores. Os argumentos da banca é que os livros citam questões de gênero e homossexualidade. Caso seja aprovada essas PLs, os alunos podem passar até três anos sem os livros didáticos.

A Audiência que foi convocada pelos vereadores Jayme Asfora (PMDB) e Isabella de Roldão (PDT). A mesa contou com a participação do SIMPERE através da atual coordenadora de comunicação, Claudia Ribeiro, além de três secretários municipais: o executivo de Direitos Humanos, Paulo Moraes; O executivo de Gestão Pedagógica da Secretaria de Educação, Rogério Morais; e a da Mulher, Elizabete Godinho. Também participaram a secretária-geral adjunta da OAB-PE, Luciana Brasileiro  e o promotor de Direitos Humanos do Recife, Maxwell Vignoli. Nenhum dos vereadores que compõe a bancada evangélica ou os autores dos PLs compôs a mesa.

Para Claudia Ribeiro, a negação da inclusão de temas como Gênero e Homossexualidade nas nossas escolas só faz perpetuar a cultura do estupro para as novas gerações. “Ao negarmos aos nossos jovens uma educação plural que aborde temas como gênero e orientação sexual, acabamos por manter uma cultura de opressão, onde as mulheres são as que mais sofrem, como acabamos de ver no Rio de Janeiro onde uma jovem de 16 anos foi estuprada por mais de 30 homens. Essas PLs só favorecem essa cultura do estupro”, explicou a coordenadora do SIMPERE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + dezessete =