Obras inacabadas ameaçam professores, comunidade e funcionários da Escola Luiz Vaz de Camões (RPA 6)

Obras inacabadas ameaçam professores, comunidade e funcionários da Escola Luiz Vaz de Camões (RPA 6)

Desde julho de 2019 que a comunidade escolar da Escola Integral Municipal Luiz Vaz de Camões, no Ipsep, foi informada que em 2020 passaria a funcionar no prédio da antiga escola privada Walt Disney. Em outubro, representantes da PCR, gestão escolar e professores visitaram o futuro espaço. No entanto, a mudança foi realizada às pressas apenas no último final de semana (09.02). “Encaixotamento de material escolar, documentos e arquivos da secretaria. dava a impressão de que estávamos sendo despejados”, diz um dos professores da escola, que prefere não se identificar.

Hoje (10.02), a escola se encontra numa situação deplorável: entulhos, andaimes, fiação exposta, forte cheiro de tinta fresca, pouca circulação de ar, salas sem janelas e ventiladores, e ar condicionado por serem instalados, cozinha sem pia e sem estrutura. Uma constante ameaça a todos que frequentam o espaço.

É assim que a prefeitura do Recife quer que mais de 400 estudantes fiquem confinados em uma unidade escolar de tempo integral. Ou seja, devem passar o dia numa escola que não tem sequer área para refeição e descanso, espaços adequados para higiene pessoal ou guardar materiais, nem bebedouro.

Nesta segunda-feira (10) foi realizada reunião com a comunidade escolar e o sindicato. Outra reunião do mesmo tipo ocorre na quarta (12), com uma pauta de reivindicações e a possibilidade de ida à PCR cobrar respeito e dignidade às autoridades que se dizem competentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

sete + dois =