Assembleia decreta greve contra proposta imoral da PCR

Assembleia decreta greve contra proposta imoral da PCR

Frente à proposta da PCR de reajuste zero para 2020, professoras e professores decidiram, por ampla maioria, decretar greve. A assembleia aconteceu na manhã desta quarta-feira (04), na Praça Tiradentes, próxima à sede da Prefeitura. O calor não conseguiu barrar a disposição da categoria, que compareceu em grande número.

A Gestão Geraldo Julio (PSB)/Luciano Siqueira (PCdoB) quer reajustar os 12,84% do piso nacional do magistério apenas em dezembro, sem retroativos. Na prática, estamos falando de 2020 sem reajuste nenhum. Professoras e professores caminharam pelas ruas do Recife e chegaram à Prefeitura sob o sol das 11 horas da manhã, denunciando a absurda proposta da PCR.

Além da reivindicação do piso salarial já, para toda a tabela de profissionais, com pagamentos retroativos a janeiro, como previsto pela lei lei federal nº 11738/2008, a categoria tem outras demandas: autonomia da Aula Atividade, eleições diretas para gestores de escolas, realização de concurso público para suprir o déficit de aproximadamente mil profissionais na rede municipal, e o acréscimo por horas extras.

O próximo passo é retornar às escolas para dialogar com a comunidade sobre a necessidade da paralisação das atividades, em defesa da valorização profissional na educação. “A gente tem que brigar para garantir uma coisa que é lei, a gente não precisava estar debaixo de sol, caminhando, se expondo. O sentimento da categoria é de revolta, a gente não tem outra coisa a fazer a não ser decretar e depois deflagrar greve. É dialogar com as mães e pais, e dizer o porquê da nossa luta, que é um governo que nos desrespeita”, defende a professora Lyvia Tavares, da Escola Chico Science, RPA 3.

A assembleia demonstrou o tom de luta e mobilização da categoria, com disposição para construir um movimento de greve capaz de derrotar a proposta imoral da Prefeitura. “O sindicato estará à disposição da categoria em luta, organizando e impulsionando com todos os esforços a resistência aos planos de desvalorização da educação pública orquestrados pela prefeitura do PSB/PCdoB”, diz a Coordenadora do Simpere, Claudia Ribeiro.

Uma nova assembleia no Teatro Boa Vista está marcada para as 14h da próxima terça-feira (10), quando deverá ser deflagrada a greve, caso a Prefeitura não apresente uma proposta que de fato representa os anseios da nossa categoria na mesa de negociação da segunda-feira (09).

Direção Colegiada SIMPERE — Gestão Resistência e Luta — Filiado à CSP CONLUTAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 1 =