29 DE JANEIRO É DIA DA VISIBILIDADE TRANS: EXISITIR É RESISTIR!

Hoje é um dia importante de visibilidade e luta para pessoas trans. Para parcelas importantes da nossa sociedade, visibilidade é uma pauta extremamente importante, já que sua existência em si é constantemente questionada pela discriminação e opressão. Visibilidade às pautas políticas, à existência e a necessidade de impor o fim da violência. Pessoas trans sofrem com as estatísticas virulentas do Brasil: somos o país que mais mata travestis e transexuais do mundo. De acordo com Associação Nacional de Travestis e Transexuais-ANTRA – o número de assassinato de pessoas trans aumentou 48% só nos primeiros quatro meses de 2020 em relação a anos anteriores.
Esta atenuação de violência transfóbica com certeza tem relação com a conjuntura política que o Brasil atravessa, tendo na cadeira de presidência um homofóbico declarado, que implementa e é conivente com políticas de violência e genocídio. Seus ministros e em especial, a ministra Damares atua diretamente como disseminadora de ódio e políticas efetivas de desmonte dos direitos sociais para a população LGBTQI+.
O SIMPERE compreende a necessidade de construir uma visibilidade para a população trans, entendendo o papel da educação e seus agentes neste processo, cobrando dos governos que implementem políticas que fortaleçam os direitos humanos no ambiente escolar e nos demais espaços; e juntas e juntos, tomando a principal tarefa de fortalecer a derrubada do governo Bolsonaro/Mourão em unidade com os demais setores da juventude e classe trabalhadora.
#visibilidadetrans
SIMPERE – Gestão Resistência e Luta – Filiado à CSP Conlutas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − nove =