SIMPERE COBRA MELHORIAS E CONSTRUÇÕES DE CRECHES EM AUDIÊNCIA PÚBLICA

SIMPERE COBRA MELHORIAS E CONSTRUÇÕES DE CRECHES EM AUDIÊNCIA PÚBLICA


Na tarde desta quarta-feira (04.08), o Simpere participou de audiência municipal sobre a política de creche na cidade do Recife, organizada pelo mandato da vereadora Dani Portela (PSOL). Atualmente, só existem 61 creches em funcionamento e 57% das crianças de 0 a 4 anos não tem acesso ao direito constitucional da vaga nas creches municipais. Além da falta de creches, os profissionais que trabalham nestas estruturas sofrem com a lotação e precarização da estrutura e desvalorização profissional.Em sua fala, a coordenadora-geral do Simpere, Cláudia Ribeiro, destacou que articulação coletiva entre as comunidades é a melhor estratégia para pressionar a prefeitura e salientou a importância das creches para a autonomia das mulheres. “Recai sobre as mulheres o peso dos cuidados com as crianças. A ausência de creche tem expulsado as mulheres do mercado de trabalho. Mais de que uma simples vaga, a creche é parte do processo de libertação e emancipação das mulheres. Então é um problema social gravíssimo”, disse.Cobrando prazos e políticas efetivas da prefeitura, inclusive com a pandemia, o Simpere denunciou que entre 2015 a 2019 a PCR deixou de arrecadar mais de 14 milhões de reais em inserção fiscal só grupo empresarial milionário Ser Educacional em troca de vagas na Universidade Maurício de Nassau do milionário Janguier. A verba que poderia ter sido direcionada às creches e a prefeitura escolhe não fazê-las e manter o sucateamento e sofrimento das mães pelo enriquecimento dos empresários da educação privada.Outros pontos cobrados pelo Simpere foram a eleição direta para gestão de creche, como forma de evitar fisiologismo; a defesa de matrículas presenciais, em virtude da dificuldade de acesso a internet e para dar transparência ao processo, afinal há relatos de que é preciso ter laços com políticos locais para garantir a vaga. Foi defendido também auxílio emergencial para mães que não conseguem colocar os filhos nas creches; e absorção de mão de obra da comunidade para construção de cada creche como forma de resolver emergencialmente o desemprego e o flagelo da população mais vulnerável.A vereadora salientou o trabalho que o Simpere vem fazendo de denunciar a insuficiência de creches na educação pública municipal. O Simpere vem fazendo de vistoria nas creches e encontrando diversos problemas estruturais, como mofo, infiltração, goteira, PVC com ameaça de desabamento, falta notebooks e acesso a internet, falta de professores, estagiário fazendo aula-atividade. Os encaminhamentos serão feitos a Secretaria de Educação.Simpere – Gestão Resistência e Luta – Filiado à CSP Conlutas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − 1 =