Professores do Recife protestam por um país mais justo no 18º Grito dos Excluídos

SIMPERE marcou presença no ato que aconteceu na última sexta-feira (07), feriado do Dia da Independência

Com o tema “A vida em primeiro lugar. Queremos um Estado a serviço da Nação, que garanta direitos a toda população”, o 18º Grito dos Excluídos reuniu cerca de duas mil pessoas no centro do Recife que protestavam a favor dos direitos de toda a sociedade.  E o Sindicato Municipal dos Profissionais de Ensino do Recife não poderia ficar de fora de mais esta luta. O ato teve início na Praça Oswaldo Cruz, no bairro da Boa Vista, e foi finalizado na Praça do Carmo, no bairro de São José.

Segundo Luiza Lira, coordenadora geral do SIMPERE, este é um momento para mostrar à população o que está acontecendo no mundo e, em especial, no Brasil. “É a hora de denunciar os governantes deste país, além da opressão que os movimentos sociais vêm vivendo”, complementa.

De acordo com os coordenadores do Fórum Dom Helder Câmara, organizador do evento, o foco da manifestação nesse ano foi a não privatização da saúde e a descriminalização dos movimentos sociais. Integrantes de 25 movimentos sociais participaram da caminhada. Entre eles, estavam grupos de aposentados que exigiam mais respeito e políticas públicas aos idosos, Levante Popular da Juventude com bandeiras vermelhas contra o racismo e machismo, além do movimento gay Leões do Norte, lutando pela igualdade e por punições mais severas para casos de homofobia.

Mais de 60 representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) também estiveram na caminhada. Eles querem a distribuição de terra, renda e o fim da violência contra a mulher.

* Imagem do Portal G1

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + dez =