Dia de negociações com a PCR culmina em greve dos servidores municipais

Dia de negociações com a PCR culmina em greve dos servidores municipais

Após pedir um tempo para coçar os bolsos e apresentar novos índices, o Secretário de Administração de Pessoas Marconi Muzzio e o Secretário de Finanças Ricardo Dantas trouxeram uma contraproposta de 4,5%, com vale-refeição de R$20,50, que não foi aceita pelas categorias presentes. A 3ª e a 4ª mesas gerais de negociação aconteceram ao longo desta quinta-feira (05), no Centro de Formação Paulo Freire.

Mais uma vez a Prefeitura não correspondeu à proposta das entidades sindicais do município, de reajustar os salários em 5,5%, com pagamentos retroativos a janeiro, e aumentar o vale-refeição para R$22. No final da tarde, o conjunto de sindicatos municipais se reuniram em assembleia e decretaram greve, que começa a vigorar na próxima quarta-feira (11).

Já as professoras e professores, representadas pelo SIMPERE, seguem exigindo o reajuste de 12,84% para toda a categoria, e com pagamentos retroativos à data-base de janeiro, conforme o repasse do MEC, e previsto na lei federal nº 11.738/2008.

Uma última mesa setorial de negociação específica com o SIMPERE está marcada para a segunda-feira (09), e caso a Prefeitura não acate estas exigências, a Assembleia Geral da *terça-feira, dia 10 de março, às 14h no Teatro Boa vista*, centro do Recife, vai deflagrar greve das professoras e professores municipais.

Além da reivindicação do piso salarial, o SIMPERE apoia a luta das demais categorias por um reajuste digno, pela valorização e abertura de adesões do Saúde Recife, e pela melhoria das condições de trabalho para os profissionais municipais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − 3 =