Professores se unem aos servidores municipais para protestar contra as propostas apresentadas pela PCR

Prefeitura não avançou em questões fundamentais para as categorias, entre elas o índice de reajuste e o valor do ticket

A chuva que caiu durante todo o dia da terça-feira (04) não atrapalhou a luta dos servidores municipais que foram às ruas para protestar contra o posicionamento da Prefeitura do Recife a respeito das reivindicações das categorias. O ato que aconteceu na Câmara de Vereadores foi chamado pelo Fórum de Servidores do Município e contou com a presença do Sindicato dos Professores da Rede Oficial de Ensino do Recife – SIMPERE.

Na manifestação estiverem presentes professores, Auxiliares de Desenvolvimento Infantil (ADIs), alunos, pais e servidores municipais. Entre as exigências, os manifestantes reivindicavam por melhores condições de ensino, mais creches e reajuste salarial. As várias rodadas da mesa de negociação entre os servidores e representantes da PCR também não avançaram nas questões fundamentais das categorias, entre elas o índice de reajuste e o valor do ticket.

“Esse ato foi de extrema importância porque mostrou a capacidade que os trabalhadores do serviço público municipal têm para unificar suas lutas, fortalecendo as reivindicações colocadas. Foi um ato de muita importância e que deve ser repetido, pois só a unidade da classe trabalhadora trará resultados”, afirmou Claudia Ribeiro, diretora de Comunicação do SIMPERE.

As Auxiliares de Desenvolvimento Infantil, que estão em greve desde o dia 27 de maio, também participaram do ato para protestar por um aumento no número de creches, melhores condições e reconhecimento pedagógico. “Nossas funções atualmente são caracterizadas como administrativas, então buscamos esse reconhecimento junto à PCR Além disso, queremos a redução de carga horária, pois trabalhamos 40 horas semanais diretamente com as crianças em condições precárias, então entendemos que essa redução será favorável para o desenvolvimento da criança e do profissional”, disse Rosângela Oliveira, da Associação dos ADIs do Recife.

Para esta semana ainda está programada uma paralisação de 48 horas dos professores do Recife, nos dias 06 e 07 de junho. Na quinta-feira (06), o SIMPERE realizará piquetes nas escolas e na sexta-feira (07), haverá um ato público com concentração no pátio da PCR, a partir das 8h. As ADIs darão continuidade à greve e os servidores municipais continuam se mobilizando.

Entenda as propostas apresentadas pela PCR – A prefeitura propôs 6,49% para novembro sem retroativo e os servidores exigem 18,97%. Com relação ao ticket, a PCR alegou não ter dinheiro para aumentar o atual valor que hoje é de R$ 12,00. Já o movimento pede R$ 22,50, baseado na análise do DIEESE da Região Metropolitana do Recife.

Os professores também possuem uma pauta específica com a implantação da aula-atividade. A proposta apresentada pelo secretário de Educação, Valmar Corrêa, é que esta seja aplicada para os professores II no mês de agosto, enquanto Professor I apenas em fevereiro de 2014. Outra reivindicação dos educadores é a manutenção das escolas que estão em péssimas condições, oferecendo risco aos alunos e professores.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 1 =