II Conferência Estadual de Educação

SIMPERE marca presença na abertura com cobranças e denúncias

Aconteceu nessa segunda-feira (29), às vesperas do Dia do(a) Professor(a), a abertura da II Conferência Estadual de Educação, no Centro de Convenções. O fórum tem como tema central “O PNE na Articulação do Sistema Nacional de Educação: Participação Popular, Cooperação Federativa e Regime de Colaboração”. Estiveram presentes várias organizações sindicais do setor da educação, além de algumas entidades estudantis.

Membros da diretoria colegiada do SIMPERE compareceram ao evento, mas de forma diferenciada aos demais sindicatos presentes. O objetivo foi realizar um ato simbólico por um educação pública, gratuita e de qualidade e pela valorização dos profissionais de ensino. Também foi denunciada a forma como a prefeitura de Recife está lidando com a violência nas escolas.

Enquanto a plenária cantava o Hino Nacional, duas faixas permaneceram erguidas com os dizeres “10% do PIB para educação já: A educação pública não pode esperar para 2023” e “Geraldo Júlio: Professor não é bandido. Violência na escola não se resolve na delegacia”.

Para os diretores do SIMPERE presentes no ato essa conferência não debate os reais problemas da educação nem tão pouco a situação em que vivem os professores. Ao mesmo tempo eles avaliam que o que acontece nesse fórum é a criação de falsas espectativas. Isso porque para iniciar os avanços na educação pública do país é necessário mais investimento público imediatamente como, por exemplo, a implantação dos 10% do PIB na Escola Pública agora e não para daqui a 10 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + 8 =