Simpere denuncia |

Simpere denuncia |

No dia 5 de agosto de 2020, durante a reunião do Conselho Fiscal do ReciPrev, o diretor do Simpere Carlos Elias, questionou a apropriação indevida da Prefeitura do Recife no repasse do dinheiro da previdência (contribuição patronal) dos servidores municipais.
Com base na Lei Complementar Federal nº 173/2020, aprovada pelo congresso a pedido de Bolsonaro e por uma lei municipal aprovada pelos vereadores do Recife, os representantes da PCR argumentam a legalidade da ação.
Essa apropriação indevida também foi denunciada pela promotora Noélia Brito em suas redes sociais. Recentemente (07/outubro/2020), Noélia publicou, no seu blog, que a auditoria do Tribunal de Contas do Estado acusa irregularidade até no cumprimento da própria lei em vigor, pois deixou de repassar a contribuição patronal para o Reciprev que incide sobre os aposentados e pensionistas e, que só de abril a agosto de 2020, esse não repasse fica em torno de R$8,2 milhões.
Na reunião do Conselho do dia 05 de agosto, o representante do Simpere denunciou a imoralidade da lei e a ilegalidade dessa ação, pois permite que os governos utilizem o dinheiro da previdência dos trabalhadores para usarem como bem entenderem.
Em duas reuniões seguidas, Carlos Elias orientou que os representantes do Conselho Fiscal votassem contra essa medida de Geraldo Julio, contudo, todos os conselheiros, com exceção dele, se recusaram a fazer a votação.

Simpere- Gestão Resistência e Luta
Filiado`a CSP Conlutas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =