FORA BOLSONARO: A EDUCAÇÃO NÃO ESQUECE OS ATAQUES!

 

Bolsonaro é inimigo da educação e dos profissionais de ensino. Uma das profissões que mais sofrem a desvalorização e defasagem salarial e os ataques à liberdade de cátedra, professores e professoras já foram alvo de diversas campanhas bolsonaristas de difamação e perseguição, além da desvalorização profisisonal. Eleito, Bolsonaro e sua família aliaram-se com os setores mais conservadores do Congresso e Planalto para implementar medidas de retrocesso na educação.

É importante relembrar alguns dos principais ataques deste governo à educação:

1. Campanhas de fake news nas eleições de 2018 contra profissionais da educação com perseguição ideológica e disseminação de mentiras sobre como seriam as escolas em caso da vitória de seu oponente, Fernando Haddad; as famosas farsas do “kit gay”, ideologia de gênero e mamadeira erótica;

2. Corte de 30% do orçamento das Universidades Federais em abril de 2019; o que gerou uma mobilização intensa da educação sobretudo nas IFs;

3.  Ameaças de não reajuste do piso salarial aos professores e professoras da educação básica;

4.Avanço na privatização do ensino básico – com os vouchers para educação infantil;

5. Indicações para o Ministério da Educação sempre desastrosas e personificadas em figuras que desprezam o fazer profissional das professoras e professores e suas pautas históricas de valorização e por uma escola que fomente a cidadania e os direitos humanos. Das quatro indicações para o cargo, não houve um sequer que apresentasse sequer respeito aos profissionais do ensino;

6. Engavetamento do Plano Nacional de Educação, engessando, portanto, a agenda histórica de direitos da educação;

7. Perpetuação da educação baseada na discriminação de gênero, raça, orientação sexual e com pessoas com deficiência. Falas problemáticas do presidente e de seus ministros revelam a fundo a ideologia que baliza os decretos, PLs e medidas governamentais: preconceito e discriminação;

8. Não revogação da PEC do Teto de Gastos implementada por Michel Temer, medida que congelou o investimento das áreas sociais por 20 anos. A educação pública, de qualidade e socialmente referenciada sofreu com este governo que em breve se findará.

É preciso ganhar às ruas para tirar Bolsonaro de uma vez da presidência. O seu governo representa o retrocesso político e uma escalada de ataques aos direitos conquistados por gerações de luta. Neste sábado, dia 09 de abril, trabalhadoras e trabalhadores irão às ruas pelo FORA BOLSONARO!

Gestão SIMPERE Forte, Plural e de Luta – Filiado à CNTE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × dois =