Geraldo Júlio tenta calar os professores na abertura do ano letivo e o SIMPERE não se cala!

O ano letivo iniciou para milhares de professores nesta última terça-feira (03) durante a cerimônia organizada pela Prefeitura do Recife. Tradicionalmente, é garantida a fala do SIMPERE, assim como dos representantes da Prefeitura. Mas não hoje: pela primeira vez na história, a Prefeitura do Recife tentou calar os professores e impediu a fala do SIMPERE na mesa de abertura. 

É um completo absurdo que a entidade representativa da categoria seja barrada desta forma pela prefeitura de Geraldo Julio (PSB). Mesmo com gritos e palavras de ordem exigindo a fala do SIMPERE pelas centenas de professores que lotavam o auditório do Teatro Guararapes, a Prefeitura seguiu com sua política intransigente e chegou a cortar o som do microfone quando Eunice Nascimento, conseguiu alguns segundos de fala para denunciar as práticas ditatoriais da gestão do PSB.

“Em todas as aberturas do ano letivo, a prefeitura nos dava o direito de falar. Hoje, isso não aconteceu. É uma falta de respeito. Não nos consultaram para fazer a nova política. Vamos realizar uma assembleia até o início do próximo mês para discutir essa questão”, garante a  coordenadora geral Simone Fontana.

O início do ano letivo foi marcado pela apresentação da “ Política de ensino da Rede municipal do Recife”, política esta que não era reformulada desde 2002. Na oportunidade, o Secretario Jorge Vieira apresentou os novos instrumentos de ensino, tais como Diário de classe digital e disponibilização de aparelhos de comunicação.  É necessário entender o motivo de tamanha intransigência por parte da Prefeitura. A fala do SIMPERE denunciaria a tentativa de desmontar a educação púbica do Recife, exigiria o fim da meritocracia e apontaria a necessidade de construir uma política educacional pela base e junto com os professores e o sindicato.

Se a Prefeitura achou que calaria os professores impedindo o SIMPERE de falar, se enganou: Professor não cala, luta e fala! Junto com os ADIs, o sindicato e a categoria mostrou a que veio: Se manifestou em apoio ao sindicato e exigiu a fala do seu sindicato. O SIMPERE já mostrou que o ano de 2015 será marcado de muita luta contra a meritocracia, pela defesa da aula atividade e por uma educação pública e de qualidade.

 

“PROFESSOR NÃO CALA, LUTA E FALA!”

http://simpere.org/wp-admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 2 =